Como começar uma fanfic

31/07/2017 || || ||
Olá trevosinhos! Ultimamente eu tenho fuçado os sites de fanfics e tals, vejo o tanto de gente que só começa fanfics do nada e sem perspectivas de nada. Por incrível que pareça, dá pra perceber que sua fanfic foi escrita de qualquer jeito e que ela provavelmente não tem um final e um meio pronto, então não passe essa sensação, saiba o que está fazendo e passe segurança nos acontecimentos da história. "Mas Hari, se eu não souber mesmo o que vai acontecer na história?" é pra isso e outras coisas que preparei esse post, aqui é tipo um "FAQ" que todo iniciante tem. Lembrando: O que tá escrito não é verdade absoluta, eu sou apenas um ser humano.

Fazendo esboço
Não saia colocando acontecimento em cima de acontecimento em um capítulo da fanfic -principalmente quando é o primeiro capítulo, só ouse mais no final-. Anote tudo o que você quer que aconteça na sua fanfic -aliás, anote tudo, pode ser que você use outras ideias pra outras fanfics- e tente estabelecer uma cronologia que os fatos acontecem. Anote bem esboçado mesmo, essa parte não precisa ser perfeita e também não precisa ter pressa com nada. Só se foque nos acontecimentos limpos e secos, escreva o máximo de acontecimentos que puder, mas é de extrema importância que você saiba ou o começo ou o final da história para você criar uma linha a partir daí. E lembre-se: Calma é o seu lema.

Porém, se você ficar muito empolgado escrevendo as ideias e quer logo começar, comece e use toda a sua empolgação logo, pois você não sabe quando terá uma epifania dessas de novo. Só narre o que puder, já fazendo uma "pseudo-narrativa" não se atente em ortografia e não se importe se vai ficar bom, só escreva e escreva mais, se foque nos acontecimentos e algumas falas. Depois você pode aproveitar seu tempo de bloqueio criativo para consertar erros de digitação e afins. Esse último conselho da pressa é só se você for uma pessoa como eu, que tem momentos de inspiração máxima e depois tem momentos longos de bloqueio criativo. Se você não costuma ter muitas inspirações de uma vez, não faça.

Cuidando da ficha dos personagens
Esse tipo de coisa eu acho mais fácil, então faço geralmente em tempos de bloqueio criativo, sabe? Se a sua fanfic não for original, é ainda melhor, você só vai ter que se preocupar com perguntas como "O que esse personagem nunca faria?" para não cagar com a personalidade dos personagens. Não é por ser fanfic que você vai colocar personalidades que não condizem com o personagem, não é meixmo? E as pessoas gostam disso, muitas fanfics minhas, as pessoas chamam atenção que eu não desvio a personalidade dos personagens nunca! Isso chama atenção e é bom. Anote, de acordo com a personalidade da galera, o que gosta, o que faria em tal situação e coisas assim.

Agora se for original, você tem certa liberdade quanto às personalidades, maaas tem um porém: Como criar? Não tenhamos pânico, você já pensou na sua história? Crie o personagem a partir da ordem de acontecimentos na história, isso vai quase instintivamente, a partir daí, é só anotar todos os traços que você percebeu na personalidade do personagem que você criou "do nada". Agora se você está sentindo muita dificuldade, mentalize você ou um amigo seu e transforme pessoas reais em personagens, why not? Se você ainda tiver com dificuldades, signos é uma ótima saída, pega um signo ou junta dois signos em um personagem e o bom de fazer isso é que você não precisa anotar nenhuma característica, estão todas anotadas.

Eu gosto de criar histórias para cada um dos personagens para inspirar a personalidade deles, assim tento enfiar parte dessa história em um sonho ou fashback, mas isso não é obrigatório, eu faço porque acho interessante. Além disso, é bom você especificar idade, no que trabalha ou vive a vida, habilidades -se for mais ação-... Também é bom descrever a aparência, altura e esse tipo de coisa. Se tiver com dificuldade em criar físicos, se inspire em alguém que você conhece ou coloque características em papeizinhos e comece a puxar algumas, até que esteja formado o seu personagem. 

Sobre nomes, eu uso nomes "normais" de qualquer região do planeta e que eu achar que tem a ver o significado ou coisa assim, uso nomes brasileiros também, já cheguei a usar nome africano... Enfim, pesquiso nomes no google e vou colocando nos personagens. Sinceramente não tenho paciência pra isso. Ou melhor, você pode pegar nomes da mitologia, qualquer mitologia de qualquer país, muita gente faz isso. Mas se você quiser ser original, forme anagramas -que é tipo pegar uma palavra e embaralhar as letras pra formar outra-. Aí você pode usar um anagrama diferente, tirando letras ou adicionando outras, sei lá... Por exemplo, usando duas palavras, Pudim com passas fica Pupasdim (?)

Enredo no geral
Ok, já que você já fez esboços, você sabe do que a fanfic se trata, certo? É importante que nessa parte você já tenha começo e fim, não precisa necessariamente ser todo escrito, mas pelo menos tenha anotado frases principais de como vai ser o começo e o fim. O maior erro de um escritor, não só de fanfics, é não planejar o final. Se você não planejar o final, você vai se perder no meio da fanfic e vai perder o sentido de estar escrevendo. Outra coisa que pode te deixar meio perdido é o número de capítulos da fanfic. Evite fazer fics longas, se o final demorar, ele precisa ser muito bom para agradar o leitor, então a chance do final ser ruim é muito alta. Faça fanfics de, no máximo, 20 capítulos. No máximo! Claro, existem as exceções, isso que tô falando não é regra e você não precisa seguir.

Se você criou cenas soltas, essa é a hora de juntar e adicionar cenas que entrelacem elas. Como o início e o fim já estão feitos, pensar no meio é mais fácil, use o seu rascunho que fizemos no início desse post para ter uma ideia de como colocar o seu "meio", o clímax da história. Uma nota: Os clichês não são necessariamente ruins, mas se forem usados, é preciso serem bem trabalhados para agradar, então tente fugir ao máximo dos clichês e, pelo amor de qualquer coisa, não mate os pais da protagonista em um acidente de carro, todo mundo já cansou disso. Quer matar os pais da protagonista? Acidente de carro não! Por que não uma briga de gangues, uma "morte morrida", um suicídio ou simplesmente criar pais tão ausentes que eles não estão presentes na fic?

Não comece de cara com "Meu nome é fulano, tenho tantos anos e...", isso cansa o leitor. Mas não estou dizendo que é proibido, dependendo da abordagem, vai ficar legal e coerente. Vou colocar aqui o início de algumas muitas fanfics originais que eu tenho pra ver se dar pra pegar a ideia:
Dói...
— N-não...
Sinto as lágrimas escorrerem pelo meu rosto quente.
— Parem... Por favor...
Gemi, sentindo as lágrimas descontroladas a cair sem parar.
— Não... Está doendo... Hm...
Acordei em um salto, minha respiração ofegante denunciava-me. Toquei, com minha mão direita, o meu peito exposto para sentir as batidas frenéticas do meu coração. Curvei minhas costas e afundei meu rosto nas duas mãos, deixei escapar algumas lágrimas, mas tratei de secá-las rapidamente. Joguei os lençóis para o lado com o intuito de sair da cama e fazer minha higiene matinal. Fecho a porta do banheiro e observo minha figura no espelho médio.
Meu nome é Yamada Ryo, tenho dezessete anos e faço o último ano escolar, não tenho planos perfeitos para o futuro, apenas quero aproveitar meus amigos o máximo de tempo que for possível. Aproximei meu rosto do espelho pra observar melhor como estava, sem imperfeições visíveis. Digamos que sou um pouco vaidoso. Passei a mão pelos fios ruivos de meu cabelo e quando foquei mais meu corpo, vejo pela enésima vez a minha cicatriz abaixo da costela esquerda... Os pesadelos nunca sessaram completamente...
Em uma sala da aula, encontram-se aproximadamente oitenta alunos fazendo uma prova escrita de Literatura Portuguesa e um professor fiscalizando a mesma. Jessica parecia concentrada, porém aliviada por deslizar a caneta preta sob as linhas e ter a consciência de que as respostas que escreve estão corretas. Piscou os olhos e levantou-se da carteira, entregando a folha da prova ao fiscal. Voltou à carteira, guardou a caneta, pegou sua mochila e fechou a porta ao sair da sala.
— Jess! — gritou Amy assim que viu a amiga sair da sala de prova.
Will, por algum motivo da vida, estava sozinho no que parecia ser uma espécie de ilha. Ele encontrava-se ali por um tempo que esqueceu de marcar em uma pedra ou árvore, já tinha uma barba um pouco grande, mas aprendeu a apará-la por ali mesmo, achava algumas coisas na selva para cuidar disso e achar comida. Lembra de ter sido capturado por navios inimigos e jogado ao mar, mas seu chapéu de Capitão foi embora junto com algumas roupas pesadas que estava atrapalhando o Capitão a nadar.
Ao longe, viu um navio veleiro, até pensou em ir pra dentro da floresta, mas não teve medo, Will é louco e extremamente corajoso, não tava nem aí se era a marinha ou navios inimigos. Ficou lá, numa boa na areia daquela praia... Mas quando o navio se aproximou, Will avistou as velas cinzentas, na vela principal havia uma caveira geometrizada, formada por pequenos triângulos e losangos que reconhecia como a palma da mão. Uma alegria tomou de conta, a esperança ferveu de empolgação, o Capitão se adiantou:
— Perly! - gritou com a mão próxima da boca para a voz ecoar mais alto.
— Capitão! - gritou uma mulher com os cabelos vermelhos amarrados em um rabo é ela estava apoiada no mastro do navio só com umas cordas para apoiar-se.
O navio ancorou perto e ilha e Perly saltou do mastro para a terra firme a poucos passos de seu capitão.
Em um quarto desarrumado e masculino, visualiza-se um adolescente deitado tediosamente sobre sua cama bagunçada de solteiro. O rapaz aparentava ser delinquente drogado, motivo pela qual todos o temiam. Tinha o cabelo liso e preto, curto e desalinhado, pele demasiada clara, olhos de um preto amedrontador, possuía olheiras visíveis por sua falta de sono constante, costuma vestir roupas longas e escuras. Os 1,68 de altura não eram nada chamativos com seus dezessete anos.
O celular tocou na cômoda ao lado da cama, o jovem atendeu preguiçosamente.
— Alô?
Um certo vampiro desleixado abriu a geladeira quase que instintivamente mesmo sabendo que não havia nada ali além de muito vinho. Seu irmão mais velho chegou bocejando e chamou a atenção do outro que, logicamente, percebera sua recém-chegada antes.
— Lucian? Acordaste cedo hoje, não?
O ruivo olhou de relance o relógio obsoleto, 18h30. Virou-se e olhou nos olhos azeviche do irmão e pronunciou, com tremenda raiva e desdém, as seguintes palavras:
— Aaron, por que você enche a droga da geladeira com essas porcarias?
Limitei-me a gemer e deixar que corram as minhas lágrimas sôfregas pelo rosto que se misturavam com meu suor e posteriormente à saliva que eu derramava inconscientemente pela boca semiaberta, produzindo os sons mais lamuriosos. Estava a poucos passos de ter o meu próprio sudário. Minhas mãos presas a pregos grossos contra a madeira, encontrava-me crucificado como Cristo. Meus pés fortemente amarrados, formigando, dando-me agonia, as cordas que os amarravam não durariam muito tempo devido ao fogo que ardia próximo aos meus pés, tocando ligeiramente a corda.
O esperado aconteceu, as cordas romperam livrando minhas pernas. Senti uma enorme pressão nas minhas mãos e cada vez mais eu chorava, gritava por perdão e pedia que, por favor, alguém viesse socorrer-me. A gravidade forçava-me cada vez mais pra baixo, o sangue que escorria de minhas mãos gotejava na chama espessa. Oscilava entre a razão e o desmaio, já não ofegava, gemia ou chorava loucamente, não me restavam forças para isso...
Acordei em plena madrugada, encontrava-me ofegante e quase tão suado quanto em meu último pesadelo. Ainda podia sentir a angústia, a dor e o meu desespero.
Árvores, árvores depressivas em um clima denso. Nas profundezas do bosque, pode-se encontrar um circo. Este entardecer frio me agoniza. Tudo é tão desconhecido, misterioso, assustador... Tentei distrair-me de alguma maneira, observando o arvoredo ou sei lá como. Percebi um vulto, uma sombra que se moveu rapidamente por entre o bosque sombrio, estremeci e pisquei os olhos duas vezes, não acreditara no que vira.
Onde estou? O que estou fazendo aqui? Olho minhas próprias mãos, não entendia nada, ou melhor, não sei se um dia entendi, não me lembro de nada... Logo mais à frente, um circo com estrutura enorme, macabra... Não parece ter ninguém aqui fora nesse início de noite.
Ígor entrou em seu mundo imaginário, onde ele direcionou seu olhar vagarosa e calmamente para um céu azul e límpido. Observou aquela imensidão de cor azul e pensou: "Que porra foi essa?"
"O QUÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ?? Meu melhor amigo... É GAY?"
— E eu... Escondi isso o máximo possível, entende?
"Escondeu?"
— Você é a primeira pessoa que conto...
"Primeira?"
— Fale alguma coisa, Ígor
— Não tenho o que dizer, cara.
"VÃO PARA O INFERNO TODOS OS GAYS!!"
Thiago se aproximou um pouco de Ígor, mesmo ambos estando em um carro que Ígor dirigia com intenção de chegar em casa. Thiago se sentia um pouco tímido.
— Ígor... E-eu...
"NÃO FALE ISSO!"
Thiago corou e olhou para baixo, tentando desviar da expressão séria de Ígor -que apesar de ter o olho na estrada, ainda ouvia atentamente seu amigo-, fazendo círculos no chão do carro com o pé direito. Mordeu o lábio inferior.
— E-eu gosto, quer dizer... É uma... Atração...
"NÃO! PELO AMOR NÃO COMPLETE!"
Thiago corou violentamente e fechou os olhos, ainda com medo de encarar o outro.
— ESTOU APAIXONADO PELO SEU IRMÃO!
— VOCÊ ME DEIXOU NERVOSO PRA ISSO!? — gritou Ígor, corado até as orelhas.
Como viram, gosto de começar com diálogos, pesadelos ou descrições do lugar. Depende muito do clima que quero dar à fanfic, notem que quando começo com pesadelos, dou um clima mais misterioso e até bizarro. Eu uso descrições quando quero trazer a insignificância do protagonista, o que cai muito bem com histórias de terror ou pra descrever personagens que são fechados e antissociais. Dependendo do diálogo eu posso criar um clima mais de comédia e uma dinâmica maior típica dos romances. Enfim... Esses são os meus métodos -por aí dá pra notar o tanto de fanfic não publicada que tenho, não?-.

Sobre finais, tão tem um clichê clássico de finais, então é bem mais liberto. Apesar de poucas fanfics terminadas, eu tenho alguns finais aqui para dar exemplo e inspiração:
Minha irmã se abaixou e encarou uma pedra com... Meu nome? Colocou as flores na frente da pedra com meu nome gravado.
"Eu te amava tanto" ela falou.
Uma lágrima correu em meu rosto.
— Eu te amo, Ez...
Acariciou o rosto dele como se ele fosse vulnerável, o que não era, pois os dois ali eram homens fortes. Sorriu com o pensamento. Sim, tinha um senso de proteção estranho, mas porque o amava. Saiu do quarto depois de sussurrar um "Boa noite" com todo o coração.
Cá estou eu em frente ao túmulo que ele está enterrado, escrevendo esse pequeno texto porque a minha tristeza já foi transposta demais nos meus quadros e agora está transbordando para a arte escrita. Já se passaram dois outonos e até agora não me esqueço de todas as vezes que demonstramos carinho um pro outro, não sei como me apaixonar de novo.
É com a vista da queda das lindas folhas do outono que encerro essa homenagem pessoal para a pessoa que mais amei na vida.
Gargalhando, Daniel segurava sem esforço algum os pulsos dela. Puxando-a para si, sussurrou-lhe ao pé do ouvido;
— Eu não vou embora, sua irritante.
E erguendo, com a lateral do indicador, a face de Anne, beijou-a ternamente. 
Notem que pra finais tristes, eu gosto de deixar muito dramático, porém breve. E pra finais mais alegres, eu deixo um ar de continuação tipo "olha, como está tudo bem" e costumo terminar com um diálogo pra dar espontaneidade. Aconselho não terminarem deixando o final "na cara", gosto de finais breves que deixam um gostinho de "quero mais", quanto mais longo for o final, mais cansativo ele vai ser, mais difícil de agradar ele vai ser.

Chegou a hora: Postando
Primeiro, vamos decidir a hospedagem, pode ser em qualquer lugar, até um grupo do facebook. Porém gosto dos lugares "convencionais" como o Nyah e o Spirit, mas você que analisa como você gosta de mexer na plataforma e coisas assim, se não gostar de nenhuma plataforma, você pode postar no blog ou no tumblr, não é proibido, crie um blog só pra isso e mão na massa!

Depois, vamos ver a ficha, a ficha é tipo classificação indicativa, avisos -álcool, drogas, estupro, violência- gêneros e coisas assim, no caso de postar em sites específicos acaba sendo mais fácil porque assim você só precisa preencher os campos em branco. Mas se você tiver postando em blog ou tumblr, as coisas que eu citei já são suficientes, se quiserem colocar de quê é a fanfic, é ótimo também -tipo, se é de Harry Potter, Voltron, Amor Doce...- 

Eu costumo deixar a sinopse pro final, mas há pessoas que fazem no começo, como um "guia". Eu não gosto porque... A sinopse é um resumo da fanfic, como vou saber fazer um resumo da fanfic se eu não tenho a fanfic? Só pra reforça, a sinopse dever ser obrigatória pra qualquer fanfic, mesmo que tenha pessoas que não leiam, elas precisam saber do que se trata a fanfic, mesmo que ela seja Drabble ou Droubble -ou seja, fanfics com 100 ou 200 palavras-. Então não deixe em branco! Por sinal, eu não sei fazer sinopse, mas é aquele ditado, né? Explicar eu sei, colocar em prática que é bom nada.

Evite apresentar os personagens na sua sinopse, falo sério. Tem gente que só descreve os personagens na sinopse e... Cadê a história? Claro, você pode sim colocar características do personagem -principalmente se a fanfic for original-, mas não abuse demais, foque nos acontecimentos básicos. Na sinopse não é pra você descrever nada que aconteceu, dê uma ideia, seja limpo e seco tipo "Acontece isso". Porém, é claro que dá pra estilizar isso e é mais que sua obrigação estilizar. Mas pera... Estilizar? É, estilizar, deixar mais interessante para o leitor, deixar aquele "Será?" Deixe os acontecimentos no ar e, se você não tiver muita experiência, pode terminar com pergunta, é a forma mais fácil de fazer sinopse.

Pelo amor do bolinho de queijo, não fale na sinopse coisas como "Primeira fanfic, desculpa a sinopse" ou "Sinopse lixo, história legal", deixe a indignação e notas pessoais nas Notas Iniciais e Finais da fic. Se está tão preso na sinopse assim, faça como eu, copie e cole uma parte inicial da fanfic na sinopse. Não faz feio, apesar de pouco criativo. Geralmente eu colo o primeiro parágrafo, mas você pode colar qualquer parágrafo que diga sobre o que a fic trata, também não é só jogar um parágrafo aleatório, né? E coloque entre aspas para dizer que é um trecho da fanfic e não uma sinopse propriamente dita.

Ufa! Terminei! Acreditem, esse post tava dando teia de aranha aqui nos rascunho do blpg, eu tenho ele desde 2015, falo sério! Nossa... Espero que tenham gostado, meus amores <3

4 comentários:

  1. Eu sempre tenho dúvidas na hora de criar a minha fic, principalmente em questão de organização e criatividade. Geralmente tenho surtos súbitos de criatividade nas piores horas - geralmente quando não posso escrever - por isso eu baixei o Death Note no meu tablet, é bem melhor que o bloco de notas, e eu meio que sempre estou com o tablet na mão. O problema é que eu costumo escrever muita poesia dramática ao invés de dar atenção à fanfic, me sinto um romancista ridículo.
    Gostei bastante das ideias de começo e fim, geralmente é a pior parte de escrever alguma coisa, mas depois de pegar o ritmo fica mais fácil.
    Amei o post.
    https://darkrss.blogspot.com.br/
    チュ~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente essas são as dúvidas frequentes mesmo, e com questões de bloqueio criativo também. AGORA TÔ IMAGINANDO VOCÊ ESCREVENDO FIC NO DEATH NOTE SHUASHAUS Desculpa, é engraçado, imagina se os personagens morrem? -q
      Diferente de você, eu anoto ideias no papel mesmo, por causa da faculdade, não é muito interessante erguer o celular na hora da aula pra escrever, sacas? Aí escrevo no caderno mesmo e depois passo a limpo. Ah, não se sinta ridícula, eu também escrevo poesias assim, acho que todo mundo já escreveu.
      Obrigada, eu alonguei mais as do início de fanfic por saber que geralmente as pessoas têm dificuldade nisso, mas acredita que comigo é o contrário? O meio é a pior parte pra mim -qq

      Excluir
  2. Uma pergunta, qual seu nome no Nyah? Quero ler suas fanfics.

    ResponderExcluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!